Buscar
  • Alvor FM

''Tudo O Que Disseste'' é o novo single de Martim Seabra


Após se ter apresentado ao mundo em 2021 com o disco "The Days Are just Packed", Martim Seabra prepara agora o lançamento do seu primeiro single em língua portuguesa, "Tudo O Que Disseste", avanço do novo longa-duração "Movimentos", a ser editado no início de 2023.

Com raízes na capital portuguesa, mais concretamente em São João do Estoril, Martim Seabra, de vinte e seis anos é um talentoso multi-instrumentista e cantautor, que tem nos últimos anos dado passos importantes naquilo que é provavelmente o seu maior contributo a nível pessoal e profissional: a música. Com todos estes ingredientes, e juntamente com amigos de longa data, reuniram-se as condições necessárias para que Martim começasse a deixar marcas no seio da música portuguesa, dando o seu contributo para vários projetos musicais, com destaque para a guitarra em Zanibar Aliens.

Se fora antes conhecido enquanto Fisherman, um dos seus projetos a solo, acabara por colocar a vida de pescador de lado, para se passar a apresentar sob a simplicidade e honestidade do seu próprio nome. Com esta notícia, chegou também o anúncio de um primeiro álbum, "The Days Are Just Packed", editado em final de abril de 2021, contando com 3 singles, "Rosalie", "I'll Follow The Sun" e "When You're Mad At Me", distanciando-se assim da sonoridade "rough" do seu primeiro EP "And The Crowd Goes...Mild". Neste novo trabalho, Martim estica a corda com canções quase country, apelando a temas sonoros retro e a um dip saudável numa piscina cheia de sintetizadores e baixos modelados.

O resultado é uma excelente base para aquela que é, sem dúvida, uma das vozes mais promissoras da nova geração de cantautores nacionais. Agora, depois de algum tempo de brainstorming caseiro (também proporcionado pela pandemia), assume o seu "eu" e apresenta-se em nome próprio e em português, pretendendo ocupar um lugar definitivo na música nacional.

No novo álbum, Movimentos, a ser editado no próximo ano, o artista assina não só a composição de todas as faixas, como também a sua produção e a gravação de todos os instrumentos. A sonoridade do disco marca uma conciliação do artista com a herança do rock 'n' roll e blues feitos em Portugal nos anos 70 e 80, depois de uma adolescência passada com ouvidos além-fronteiras em busca das mesmas referências. Como resultado, obtemos um trabalho marcadamente diferente daquilo a que Martim nos habituou nos vários projetos em que tem estado envolvido ao longo dos anos: uma celebração de identidade muito própria, que não deixa de tirar o chapéu a heróis como Palma ou Veloso.


Teresa Lemos | Foto:D.R.