Buscar
  • Alvor FM

Sampa The Great revela novo single e vídeo com a participação de Denzel Curry


Após os concertos no recente festival Coachella, a poeta e rapper nascida na Zâmbia e criada no Botswana, Sampa The Great, inaugura hoje uma nova era com o lançamento de Lane, com o rapper Denzel Curry. Lane é o primeiro single de Sampa the Great desde que venceu o ARIA Award de 2019 e o Australian Music Prize com o seu álbum de estreia, The Return.

Depois de se mudar para a Zâmbia durante a pandemia, Sampa reconectou-se com um lado diferente de si mesma, mais próximo da arte a que teve acesso enquanto crescia em África. Agora, numa era de autenticidade, conheça uma Sampa 360, uma versão superior de si mesma. Sem máscara ou papel a desempenhar, Lane é o chamamento de Sampa The Great para criar e explorar os seus próprios caminhos e ir além do que é prescrito sem julgamento. Uma voz com efeitos vocoder conduz a canção, ao som de órgãos abandonados e harmonias corais. Uma batida de trap com uma melodia de baixo define o ritmo de Sampa, que no seu rap desafia o facto de ser colocada numa caixa, pedindo coragem para tentar de forma livre. O verso de Denzel Curry é uma declaração poderosa com uma essência semelhante, aumentando ainda mais a importância da mensagem de Lane.

A canção é acompanhada por um vídeo realizado por Rochelle Rhembard e Imraan Christian. Uma peça longa, que termina com uma peça em spoken word, Origin, que é uma reintrodução apropriada. Das profundezas de uma caverna subterrânea, somos apresentados a Eva: a persona e o projeto da versão mais elevada de Sampa. De uma justaposição de salas de cimento de quatro paredes até à versão mais jovem de Sampa, passando por crianças de fato preto a correr pela natureza com armas automáticas na mão, acompanhamos a história da mais recente viagem de Sampa. Denzel Curry completa a narrativa num headset de realidade virtual, rimando a tempo de soletrar um final dinâmico.

Sampa The Great diz sobre Lane: "Não vamos ficar num só caminho, vamos criar vários... O meu eu mais verdadeiro encoraja-me a explorar diferentes percursos e ir além do que eu acho que sei de mim mesmo."

Sampa The Great passou grande parte dos últimos dois anos a escrever e a gravar enquanto estava em casa na Zâmbia, durante a pandemia. Em 2020, Sampa The Great levou para casa três ARIA Awards pelo seu álbum de estreia, The Return, incluindo Melhor Lançamento Independente, Melhor Artista Feminina e Melhor Lançamento de Hip Hop, antes de dar uma emocionante atuação ao vivo, filmada num terraço no Botswana. Mais tarde nesse mesmo mês, recebeu quatro Music Victoria Awards, incluindo Melhor Álbum, Melhor Artista a Solo, Melhor Álbum de Soul, Funk, Gospel ou R&B e Melhor Canção, para encerrar um ano que incluiu tornar-se a primeira artista a solo e música feminina a ganhar o prémio de Melhor Atuação nos National Live Music Awards. Como uma artista ao vivo muito aplaudida, Sampa conquistou o público em todo o mundo com atuações em festivais como Glastonbury, Splendor in the Grass e Laneway, além de concertos virtuais para o AFROPUNK, Black August e Roots Picnic, bem como as primeiras partes para artistas como Kendrick Lamar e Lauryn Hill. No último fim de semana, Sampa The Great apresentou-se pela primeira vez no Coachella.

Em 2019, Sampa levou para casa o prémio de Melhor Lançamento de Hip Hop por Final Form nos ARIA Awards de 2019, juntamente com outras vitórias nos J Awards, incluindo os prémios de Vídeo do Ano, Artista do Ano e Melhor Artista de Hip Hop nos Music Victoria Music Awards e quebrou recordes da indústria ao ganhar o prestigioso Australian Music Prize duas vezes ao longo da sua carreira. O LP The Return recebeu elogios de meios como The Guardian, NPR, Pitchfork, The FADER, Billboard, OkayAfrica, entre outros. Sampa reeditou ainda a canção Time's Up com novos versos da rapper de Nova Iorque Junglepussy, colaborou com nomes como The Avalanches, Denzel Curry & Tricky, além de ter participado na playlist de Michelle Obama.


Universal Music